segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Planeia bem as tuas despesas




Planeia o teu orçamento familiar. Com um plano simples, gastarás menos e chegarás mais relaxada ao final do mês.

As quatro regras do «NÃO»

NÃO aos cartões. Para controlar os teus gastos, paga em dinheiro. Os cartões de crédito podem distorcer a perceção do que gastas. Se os usas, anota tudo o que pagaste a crédito nesse mês.

NÃO aos pagamentos diferidos. Retoma os costumes dos nossos avós que só compravam quando tinham dinheiro para o fazer. Pagar a crédito implica juros.

NÃO à improvisação. A pressa é má conselheira. Tem cuidado com as compras compulsivas, aumentam os teus gastos até 30%.

NÃO  aos gastos desnecessários. Livra-te dos ‘’ativos tóxicos’’, esse carro parado ou algo que pagas no final de cada mês, mas nem usas.


Uma questão de te organizares

Se estás sobrecarregada por despesas inesperadas ou se não sabes para onde se vai o teu dinheiro, chegou a hora de te organizares. Age como se a tua economia doméstica fosse uma empresa: tens que fazer um plano de ganhos e gastos e controlar os desvios.

Sabe com o que contas

O primeiro passo é ter uma visão real da tua situação. Analisa os teus ganhos mensais e organiza-os numa tabela, faz o mesmo com as dívidas. Deves ser sincera: falsear os dados não te ajudará a controlar melhor.

Desenha o teu próprio plano

Guarda os talões do banco. Arquiva as faturas, guarda os tickets das compras… Estes dados servirão de base para construíres um plano para gastos importantes.

Ordena e classifica

Num papel, ou numa folha de calculo, anota as receitas e os gastos por categorias. Faz quatro colunas: uma de ganhos e três de gastos (fixos, variáveis e imprevistos).

Mensal, trimestral, anual

Um plano de gastas deve ser mensal. Mas podes ir mais além e ter uma visão trimestral ou anual, colocando as férias e os extras de cada época (Natal, regresso à escola, etc.). Anota também a forma como pagas, principalmente o que pagas a crédito.

A hora da verdade…

Quando tiveres as duas colunas (ganhos e gastos) concluídas, poderás valorizar exatamente a tua situação real. Com as contas claras, será mais fácil estabeleceres as tuas prioridades pessoais e reduzir os gastos supérfluos e excessivos.

Um controlo semanal

As intensões são fácil de ter, o difícil é cumpri-las. O primeiro passo para conseguir é fazer um controlo semanal: anota todas as semanas todos os gastos que fazes.

Nunca de esqueças de…

Se puderes, guarda mensalmente uma pequena quantidade de dinheiro e destina-o a uma poupança. Abre uma conta poupança à parte e vai colocando lá pequenas quantias.

O teu smartphone ajuda-te a medir os gastos

Aplicações como Moneytracking, Moneybox ou ReadyForZero, facilitam folhas de calculo onde podes anotar os teus gastos no momento.

Assim és, assim gastas…

A forma como administras o teu dinheiro é um reflexo de como és. Analisa qual a tua relação com o dinheiro e em que o gastas.  Esse é o primeiro passo para repensares como deverás poupar.

Toma nota: de quanto preciso para…

Do que ganho, qual a percentagem que devo destinar à hipoteca ou à alimentação? Os expert em economia doméstica aconselham estes valores: dedica cerca de 35% dos ganhos à hipoteca, 15% aos gastos mensais de água, luz, telefone…, 10% a gastos escolares, 15% ao supermercado, 7% ao transporte, 10% para  poupança, 5% a laser e 3% a reparações.
Fonte: El mueble