domingo, 27 de outubro de 2013

Chaves para decorar o quarto dos teus filhos


O quarto deve relaxar e estimular a criança, ajudá-la a descansar e a estudar…e acima de tudo, deve crescer com ela.

Espaços pequenos, grandes soluções

Multiplica o espaço para arrumação. Coloca gavetões debaixo da cama e decora com puxadores coloridos, é fácil mudá-los e adaptá-los ao seu gosto à medida que crescem. Elege materiais de qualidade, ferragens seguras e de boa qualidade.



Uma cama, três etapas

A cama é um móvel que se deve adaptar às diferentes necessidades de descanso da criança. As camas evolutivas são uma solução, ou então opta por uma que não tenha um estilo demasiado infantil. Uma aposta segura: um modelo de linhas retas em madeira.


Zona de estudo

A partir dos 5/6 anos a zona de brincar começa a deixar de fazer tanto sentido. A  zona de estudo ganha importância no quarto da criança. Na escola é quando começam a abordar a leitura, a escrita e outras matérias que requerem mais concentração. Essa alteração também se deve refletir no seu quarto. Deve favorecer a concentração, assim tem em atenção a iluminação, a mesa de estudo torna-se um elemento de muita relevância, e os brinquedos vão ficando em segundo plano.

  • É importante que a criança se habitue a trabalhar sempre no mesmo sítio e que este seja um local comodo e agradável. Deve ter um quadro magnético ou de cortiça para colocar os seus desenhos, horários, tarefas, etc. Não esquecer uma estante para os livros e material escolar. O ideal é poderes contar com três espaços distintos dentro do mesmo quarto: para brincar, para estudar e para dormir.
  • A luz artificial deve colocar-se de forma a que ilumine bem o material de estudo, mas não incida sobre a vista. Para estudar com comodidade deves colocar uma iluminação geral suave, e um candeeiro direcionado na secretária.
  • A temperatura deve estar mais ou menos nos 20ºC. O ambiente deve estar limpo e em ordem.
  • A ordem e a organização do quarto ajudarão a estudar. É importante que os brinquedos e jogos estejam fora do alcance da vista da criança: vê-los pode distrai-los do estudo. Basta um baú, ou uma caixa grande para os poderes esconder.
  • Evita o barulho na hora de estudar. Se a criança tiver TV, consola ou música no quarto, devem estar desligados na hora de estudar. Há que eliminar as distrações para favorecer a concentração. 



Três móveis indispensáveis

  • Secretária: deve ter, no mínimo 1,20m de largura e 60cm de profundidade. Convém ter pelo menos uma gaveta para guardar os lápis.
  • Cadeira: escolhe uma que tenha uma altura proporcional à secretária ( ambas devem ser adequadas à altura da criança). É importante que tenha o encosto das costas alto. Prescinde das rodas até que a criança tenha 8 ou 9 anos.
  • Estante: Para ter os livros e cadernos sempre em ordem e à mão.



Um mundo de cores
  • Até dois anos: Aposta em formas simples e cores básicas. O preto e o encarnado são  as primeiras cores que o olho humano distingue, mas no quarto do bebé os tons suaves ajudam a criar um ambiente de descanso.
  • De 2 a 5 anos: As crianças identificam ações, como tal podes pintar um mural com personagens realizando uma atividade (jogando à bola, comendo maçãs, lendo um conto…). Nesta fase a cor deve estimular, para animar a sua vitalidade.

  • A partir dos 6 anos: As personagens têm muita importância, visto que as crianças se identificam mais com elas (ex: piratas, princesas…). Mas podes optar por algo mais didático como mapas mundi de animais, monumentos, etc. muito uteis para que aprendam a situar-se no mundo. Introduz as cores terciárias: pedra, caqui, e assim educas a estética.



Tecidos para peles delicadas

Os tecidos ecológicos e hipoalergénicos protegem a pele delicada das crianças. O algodão natural é sempre uma aposta segura. Os colchões, almofadas e cortinas, podem ter uma proteção anti ácaros, pois é neles que se acumula mais pó.

Brincar ajuda a crescer

Ao pais devem brincar com os seus filhos, torna-os mais confiantes, favorece o contacto e ajuda a fortalecer o vinculo afetivo. Assim, o quarto das crianças deve ser versátil, estimulante e comportar três fases distintas:

  • Estar com a mãe: Um recém nascido precisa de um espaço neutro. O quarto deve apenas ter em atenção as necessidades da criança e da mãe: ter tudo à mão e ser tranquilo para cuidar do bebé.
  • Um lugar para descobrir: Uma vez implementados os princípios do conforto, segurança, circulação e organização, podes dar-lhes a conhecer o mundo que os rodeia, podes começar pelas cores do seu quarto.
  • Um espaço próprio: Podes educar através do espaço. Aprender a guardar, arrumar e respeitar. Ao crescer o espaço próprio é fundamental, o seu quarto é o seu refugio, e ainda mais quando chegar à adolescência.

4 truques de decoração

Para quartos pequenos podes optar por camas altas com zona de estudo em baixo.

  • Zona calma: Os quartos de bebé (até 2 anos) precisam de poucos elementos, mas um dos mais importantes é criar uma zona calma, que se pode fazer com  um tapete e várias almofadas. Nessa idade, as crianças aprendem com os 5 sentidos, como tal,  é fundamental evitar superfícies rijas.
  • Facilitar a arrumação: Á medida que crescem, o espaço vai ficando cada vez mais cheio e é difícil mantê-lo arrumado. Os móveis devem estar acessíveis à criança, para facilitar a criação de hábitos de arrumação. Baús e caixas são peças muito práticas.

  • Criar cantos: As crianças gostam de ter zonas de interesse distintas e cantos onde possam estimular a imaginação. Quando crescem, a zona de estudo toma importância e a zona de brincar deve ser transformada num espaço chill out com pufs.
  • Destralhar: A tarefa dos pais consiste em guardar apenas o necessário (não acumular) e usar móveis que aproveitem ao máximo o espaço.


Um lugar para cada coisa

Um lugar para cada coisa e cada coisa no seu lugar. Para que a criança aprenda a arrumar, é imprescindível que penses o quarto de modo a favorecer a ordem.  Tudo deve ser pensado ao detalhe para que responda a todas as necessidades de arrumação. Jogos, brinquedos, legos…devem ter um sitio próprio para serem arrumados.




Para guardar a roupa deves pensar num roupeiro com duas barras para pendurar, mais tarde podes retirar a barra de baixo e colocar gavetas. Dever ter um cabide destinado à roupa preparada para o dia seguinte. As meninas precisam de mais caixas e cestinhos para guardar os ganchos, bandoletes, laços, colares, lenços…O armário dos rapazes pode ser mais sóbrio.


O meu irmão e eu, ideias a dobrar

Quando o uso do quarto é partilhado, deves dar primazia à funcionalidade. Este é o ABC dos quartos para dois…ou mais.

A – Boa circulação. Tens que otimizar o espaço para que as crianças se sintam bem, seja a brincar, seja a estudar. É importante que o quarto ‘’respire’’ e que tenha o máximo espaço de circulação.

B – Igual para os dois. Há que ir de encontro à igualdade entre irmãos. Tenta que as condições de bem estar sejam o mais idênticas possível. Ter o máximo de arrumação – que deve ser a dobrar. Se tens apenas um roupeiro, faz com que tenha duas zonas iguais mas diferenciadas.

C – Harmonia e equilíbrio. Se as idades são muito diferentes, o melhor é optares por uma decoração neutra e serena, onde ambas as idades convivam em harmonia. O mais importante é que consigas um estilo acolhedor.





As crianças devem opinar sobre a decoração?
A partir dos 7 anos uma criança já dispõe de alguns critérios para colaborar e ajudar a decidir certos aspetos da decoração do seu quarto, o que o pode ajudar a definir a sua personalidade e gostos. Devem participar, mas a ultima palava tem que ser sempre dos pais, pois deve seguir uma linha que vá de encontro aos valores da família.
No seu quarto é importante que a criança aprenda o respeito pela intimidade. Bater à porta antes de entrar, respeitar os objetos e materiais de todos e não invadir o espaço do outro. O melhor é seres tu a dar o exemplo.


Fonte: elmueble.com
Fotos: Pinterest